Posts Tagged 'Desastres Não-Naturais'

A dificuldade de superação do Ecletismo Acadêmico

O mundo contemporâneo se encontra cada vez mais globalizado. As informações chegam cada vez mais rapidamente, são cada vez mais discutidas, compartilhadas e problematizadas. Entretanto, essas “qualidades“ no acesso à informação, tornam uma questão cada vez mais evidente: com a globalização, aproveitamos mais as informações passadas?

Uma das questões mais difíceis nas academias de ensino atualmente é a superação do modelo educacional disciplinar, caracterizado por um discurso racionalmente instrumentalista, de tratamento de meio, o que provoca um menor envolvimento dos alunos e consequentemente, menor persecução acadêmica futura.

A melhor solução para este paradigma parece ter sido encontrada nos trabalhos de Freire e Gramsci, através da Pedagogia Crítica, isto é, multicultural, praxista, conscientizadora e transformadora, superando-se assim, o modelo educacional bancário, ou seja, aquele onde o sujeito passivo -o aluno- é mero receptor de informações, acumulando-as, em verdadeira relação sujeito-objeto, de ecletismo no processo de aprendizagem.

Portanto, com base nos ensinamentos dos pensadores modernos da Pedagogia, somente com a inserção de uma teoria educacional participativa e desafiadora para o aluno, poderão os problemas causados pela educação bancária, como o plágio e a formação de maus profissionais, serem superados.

Anúncios

Os Três Setores quanto à Eficiência e Objetivos

Classificação dos Setores quanto conceitos de eficiência e eficácia

No Primeiro Setor, teoricamente, adota-se o uso da eficiência, porém na prática, devido ao excesso de demanda e a recente implantação dos conceitos do setor privado no setor público, o conceito usado na prática pelo Primeiro Setor é pela eficácia, onde o evento principal é o cumprimento da meta, sem abster-se em grandes méritos ao quesito da economicidade.

No Segundo setor, prevalece o uso da eficiência, uma vez que buscam a maior produtividade possível com a menor quantidade de insumos possível, enquanto no Terceiro Setor, a ideia principal é a eficácia das suas ações, nem sempre sendo possível realizá-las com os menores recursos possíveis, devido a necessidade social, nem sempre amparada pelo Primeiro Setor.

Diferenças e Semelhanças de Objetivos

No Primeiro Setor, o principal objetivo é atender a intensa demanda da população, crescente a cada dia, com um orçamento anualmente definido.

No Segundo Setor, diferentemente do Primeiro, o objetivo real é relacionar o alcance do objetivo usando a menor quantidade de recursos possíveis, visando a maior proporção do lucro, o que não é visado no Primeiro Setor.

No Terceiro Setor, assim como o Primeiro, não há objeto de lucro, mas o objetivo maior é atender as demandas sociais não atendidas pelo Primeiro Setor, naquele Setor há maior clamor social que no Segundo Setor e às vezes mais que o Primeiro Setor, devido à necessidade social das pessoas vinculadas, muitas vezes dependentes, dos organismos de Terceiro Setor.

Referências Bibliográficas:
http://www.coletivoverde.com.br/terceiro-setor/
http://www.suapesquisa.com/o_que_e/terceiro_setor.htm
http://www.carlosescossia.com/2009/10/o-que-e-primeiro-segundo-e-terceiro.html
http://pt.wikipedia.org/wiki/Terceiro_setor

Um beijo de muitos

Igreja da Candelária, 9 da manhã. Previsão de chuva. O Rio amanheceu nublado, parecia mais um dia normal, como mais um dia chuvoso no final do dia. Só parecia. Era o segundo dia de protesto publicizado pelo Movimento do Passe Livre, referente ao aumento dos famosos vinte centavos, de dois reais e setenta e cinco centavos para dois reais e noventa e cinco centavos, acréscimo este que é considerado abusivo pelos líderes do movimento, pela falta de estrutura dos ônibus cariocas – o que é claro e manifesto ao adentrarmos nos coletivos da terra de Machado – e pela ausência de melhora não obstante o aumento nas tarifas singulares tanto para ônibus quanto para metrôs.

Igreja da Candelária, 17 horas da tarde. Previsão de conflito, policiais a postos, verdadeiro cenário de guerra civil. 17 horas. O horário de encontro dos manifestantes representantes do Movimento do Passe Livre. Cantorias, instrumentos e faixas. Não. Estava longe de ser carnaval. Manifestantes e policiais em lados opostos como nos nostálgicos cenários de Velho Oeste. De um lado, as palavras eram o seu instrumento de guerra, do outro, sprays de pimenta, cassetetes e armas. O elemento equilibrador das partes hipossuficientes essencialmente é o respeito.

Agoniante. O sofrimento da população politicamente ativa, presente no manifesto, chega a ser imoral. Seu governo, que constitucionalmente, deveria atender aos anseios de sua nação, não o faz, o que traz o inglorioso sentimento de impunidade aos manifestantes que erroneamente vandalizam seu próprio patrimônio, ao envolver-se em agressões contra policiais, destruição de coletivos, estabelecimentos, dando razão e motivação para que os mesmo que deveriam atender por seus desejos, sejam obrigados a não fazê-lo, não só por seu caráter conservadorista, mas essencialmente pelo moral.

Enem, Sisu, ProUni. Quem realmente são ganha sempre eles

enem-2013

enem-2013

A ideia é contraditório, mas garanto que no final fará todo o sentido. Enem, o Exame do Ensino Médio, nacionalmente conhecido pelos seus vexames e fraudes tem seu primeiro ano de SUCESSO. Instituição de Leis das Cotas. Com a nova lei, 50% das vagas das instituições federais estaria destinada a 85% da população, seja por motivação racial, econômica ou educacional. O simples manejo dos candidatos para uma condição de aceitação social e o governo acerta mais uma vez. SISU, recorde de inscrições, nota de corte de ampla concorrência com pouca diferença da nota reservada a cotistas, grande oportunidade para Aloizio e seus amigos exaltarem o grande Ensino Médio público brasileiro, de IDEB de apenas 3,7 pontos, de uma escala de 10. ProUni. A chance das instituições privadas de retomarem o prestígio perdido na década passada, pela fama de pagou-passou.

*O PROUNI oferece bolsas para todo os tipos de cotas: estudantes de colegios publicos, parcialmente estudantes de colegios publicos, reconhecidamente pobres, pessoa com renda de até 3 salários minimos, autodeclarados negros, indios ou pardos.

O descaso com a educação brasileira talvez nunca fora tão grande, maqueia-se com a Lei das Cotas um maravilhoso câncer para os políticos brasileiros: a baixa escolarização. Pessoas menos escolarizadas tem menos acesso as informações que pessoas ditas estudadas, ou o Estado é tão bom assim dando bolsas para os mesmos que controlam a sociedade estamental, desde a proclamação da República: as monarquias latifundiárias.

Obras Pública, quanta Alegria – Centro Integrado de Comando e Controle

Centro Integrado de Comando e Controle em virtualização, na Cidade Nova

Centro Integrado de Comando e Controle
Seu orçamento inicial era 16 milhões de reais e previsão de término de obras ao final de 2011
http://www.portaltransparencia.gov.br/copa2014/rio-de-janeiro/seguranca/759870-11/

Hoje, constata-se um orçamento atual de 40 milhões de reais e sem previsão exata de término de obras …

 

Atualização Data 16/01/2013: Após um ano e alguns meses de atraso, a obra parece estar finalmente sendo concluída, após os seguidos acréscimos na verba licitatóia, sendo usado material de última geração para a construção do empreendimento, ao olhar o projeto, verifica-se a falta do cuidado com o custo-benefício da obra. Parabéns, governo Lula.

Os 10 Mandamentos do Homem Moderno, na minha visão

1. Educar jovens e adultos
2. Consumir matérias-primas e replantar à Mãe-Natureza
3. Direito ao lucro regulado à 10% do valor de mercado de sua produção.
4. Não usar armas. Violências e atitudes fora do padrão os infratores serão levados à reabilitação, até que possa retornar à sociedade.
5. Divisão de terras de acordo com a densidade demográfica da região.
6. Crescimento de uma região pela Qualidade de Vida.
7. Tribo índigena mais velha tomará conta do poder na 1ª vez e/ou na ausência de um governo, caso haja processo de impeachment, líderes das regiões escolhido pelos representantes (formados pelos principais intelectuais da região) deverão assumir.
8. Direito à liberdade religiosa e de expressão. Críticos serão levados aos Centros Intelectuais de Discussões, caso haja procedência de afirmação, encaminhar ao governo.
9. Pesquisas de satisfação e sugestões com os direitos humanos vigentes, e mudanças, caso em maoria, serão discutidas e/ou adotadas 3 meses após a tomada do poder.
10. Licitações públicas, com Centro de Suporte à População.

Atenciosamente,
Rafael Cores Freitas

Achou idiota? Tem sugestões? Opiniões?
e-mail: rdefreitas@r7.com

Rio+20: Será que vai?

Passaram-se 20 anos desde o ECO 92, e eu que escutei as palestras da época e cá estou eu todos os dias na Youth Blast, posso afirmar que os problemas apontados sao os mesmos. Nada mudou, o panorama é o mesmo, mas com as consequências da industrialização acelerada mais que a capacidade de regeneração da Natureza, talvez decisões importantes sejam tomadas, talvez não. Nao podemos esquecer que em 92 tambem houveram promessas e de lá para cá, o mercado passou a olhar o Meio-Ambiente com “mais carinho” e demonstra preocupação com ele, isto a partir do seculo XXI. Estamos em um jogo em que nós somos as peças e os ricos são os jogadores. Precisamo mudar isso. Chega de palavras empolgantes, vamos agir.

O encontro internacional Rio+20 ainda nem começou e ca estou eu falando sobre ele, com otimismos ganhos nas palestras e discussos da Youth Blast, conferencia pre Rio Mais 2O voltada para o público jovem, alem disso, os boatos que rondam da criacao de uma organização fiscalizadora do Meio Ambiente, uma espécie de ONU, que defende os direitos humanos e porcamente os direitos do Meio-Ambiente, este novo órgão defenderá os direitos da natureza, e correm solto que haverá uma emenda, ou uma criação de um código especifico, para o meio ambiente, são sem dúvidas ações eficazes e no minimo, animadoras.

Concluindo, mesmo que estas medidas sejam tomadas, acredito que o Brasil, nao se beneficiará tanto quanto outros países, pois como eu falei durante a entrevista ao Canal Futura, a corrupção política não permite que sigamos adiante, ela retarda a economia, a sociedade, e principalmente o Meio-Ambiente. Nosso dever é combatê-la com conscientização.

Rafael Freitas

http://www.rfdesign.com.br


Perfil

RAFAEL NL FREITAS escreve livremente há 7 anos.
É servo do Estado e réu do Liberalismo.
É jornalista e é leitor.
É cidadão deliberativo e blackbloc.

É o autor de “Aspectos Legais da REDESIM e sua Aplicabilidade no Estado do Rio de Janeiro“ e da obra ‘‘Panorama da nova Administração Pública: ADTEN, REDESIM e Plano Maior’’.

dezembro 2017
S T Q Q S S D
« nov    
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031

Hospedagem Gratuita

Web Hosting

My Del.icio.us

Digite seu endereço de email para acompanhar esse blog e receber notificações de novos posts por email.

Junte-se a 2 outros seguidores