Posts Tagged 'Overhuman'

Anotações sobre as Bases Kantianas

A filosofia clássica preocupava-se no modo de agir do indivíduo de acordo com as bases greco-filosóficas, formadas na virtude dos indivíduos e no bem-comum. Em seu “Lições Preliminares de Direito“, Miguel Reale remete aos pensamentos platônicos, ao afirmar que “Não há, porém, como separar a compreensão objetiva da subjetiva […] não pode haver justiça sem homens justos“. A filosofia moderna de Immanuel Kant compreendia a sociedade não de maneira ampla, mas de forma específica, para que cada indivíduo contribuísse com o cumprimento de seu dever para uma sociedade livre e justa, com o Estado como líder supremo do que é justo e único legitimado para tal aplicação.

A filosofia crítica de Kant baseia-se na aplicação de Imperativos (Categórico e Hipotético) para a condução do agir humano em sua teoria moral, dado pela máxima: “Age de tal maneira que trates a humanidade, tanto na tua pessoa como na pessoa de qualquer outro, sempre como um fim e nunca como um meio“. Immanuel buscou, com seus ideais, contrapor-se ao pensamento do utilitarismo de Jeremy Bentham e John Stuart Mill, que baseia-se no inatismo para otimizar o bem-estar, dado pela máxima “agir sempre de forma a produzir a maior quantidade de bem-estar“, formada no consequencialismo, na avaliação exclusiva das ações pelas suas consequências.

“Por princípio da utilidade, entendemos o princípio segundo o qual toda a ação, qualquer que seja, deve ser aprovada ou rejeitada em função da sua tendência de aumentar ou reduzir o bem-estar das partes afetadas pela ação. (…) Designamos por utilidade a tendência de alguma coisa em alcançar o bem-estar, o bem, o belo, a felicidade, as vantagens, etc. O conceito de utilidade não deve ser reduzido ao sentido corrente de modo de vida com um fim imediato. (Bentham, Introduction to the Principles of Morals and Legislation)

Logo, Kant acredita em espécie de utilitarismo reverso, pois parte da premissa individual de cada membro da sociedade, para com, agindo com seu dever, para a compreensão de um bem maior, que é de evitar o estado de guerra, a desordem.

Apesar da modernidade da aplicação kantiana, Miguel Reale faz uma observação importante:

“É a razão pelo quando entendemos insuficiente, não obstante os seus méritos, a compreensão neocontratualista de base kantiana que nos oferece J. Rawls, com paradigmas que seriam necessários da experiência jurídica […] São princípios referenciais úteis à focalização do tema, mas que nos deixam no vestíbulo da ordem justa.“ (Reale, Lições Preliminares de Direito)

A justiça em Kant funda-se na confiança total da sociedade perante o Estado, dada pelo cumprimento das leis e dos deveres para a configuração da moralidade, o que provoca um ciclo ético de fidelidade às leis e confiança no cumprimento e no funcionamento do sistema jurídico. Ciente da dificuldade do tema, Miguel Reale tenta definir a justiça como “constante coordenação racional das relações intersubjetivas, para que cada homem possa realizar livremente seus valores potenciais visando a atingir a plenitude pessoal, em sintonia com os da coletividade“. Logo, com a contraposição do utilitarismo defendido por Reale e os ideais de Kant, percebe-se a clara w manifesta diferença dos pensamentos das duas correntes filosóficas.

Portanto, ressaltando-se a importância de Kant para a Justiça, no sentido da fidelidade da sociedade para com o Estado e vice-versa, pela teoria moral do comportamento humano pautado no cumprimento dos deveres não conforme um dever, mas um dever em sim mesmo, não só como meio para alcançar algo, mas um fim em si mesmo. Entretanto, em consonância com o pensamento de Miguel Reale, o Direito deve ser fruto não somente da sua sistematização e pragmatismo -como defendia Kant- mas resultado do empirismo histórico, em um contínuo processo dialógico da história, uma vez que a precípua fonte da Justiça, é o valor da pessoa humana, que são, definitivamente, invariantes axiológicas.

Referências Bibliográficas
BENTHAM, Jeremy. An Introduction to the Principles
of Morals and Legislation. Disponível em:<http://www.utilitarianism.com/jeremy-bentham/&gt;. Acessado em: 15 de Maio de 2014.
KANT, Immanuel. Fundamentação da Metafísica dos Costumes. Disponível em: <http://ufpr.cleveron.com.br/arquivos/ET_434/kant_metafisica_costumes.pdf&gt;. Acessado em: 15 de Maio de 2014.
REALE, Miguel. Lições Preliminares de Direito. 27ª Ed. Saraiva. 2007. p.373-377.

Anúncios

Mulheres de Salto

Mulher. Ser humano do sexo feminino. Ser provocante. Irradiador de beleza. Percepção atípica. Numa singela visão masculina, mulheres são tudo aquilo que é sexy, tudo pelo nos atraimos. Isso é Mulher. São as guardiãs das emoções, as classistas mais sofisticadas, a delicadeza por definição. São a razão de existirmos e de procurarmos existir. Um homem sem amor é um homem incompleto.

E como não pudessem ser mais sedutoras, a situação agrava-se.

Era Março, a estação do ano mais romântica do ano, a Primavera, o dia parecia mais quente que o normal, estava a tomar o trem de volta para casa, após um  longo dia de trabalho, visualizo a mais perfeita representação de Afrodite no vagão de metrô onde o ar-condicionado parecia não funcionar, um choque. Uma grande celeuma passava-se em minha cabeça: o que a fazia tão diferente das outras mortais no mesmo terminal?

Procuro sem grande dificuldade, as comparo e logo ao reparar em Aquiles, vejo seu diferencial: o salto. E que salto! Mulheres de salto não são só mulheres. São Deusas. Não andam normalmente, parecem desfilar. Seus corpos ficam muito mais definidos. É acessório essencial para uma mulher, tão mais importante quanto um vestido vermelho ou um perfume.

Se aproxima. Junto dela, as paredes parecem acompanhá-la, nada mais parece certo. Como um psicótico, um surto quase apresentou-se. O respeito é maior que o princípio froidiano. Metrô para. Afrodite faz seu último desfile. E neste hiatus, como um psicopata, aguardo a próxima Cinderela antes de voltar a rotina.

Os 10 Mandamentos do Homem Moderno, na minha visão

1. Educar jovens e adultos
2. Consumir matérias-primas e replantar à Mãe-Natureza
3. Direito ao lucro regulado à 10% do valor de mercado de sua produção.
4. Não usar armas. Violências e atitudes fora do padrão os infratores serão levados à reabilitação, até que possa retornar à sociedade.
5. Divisão de terras de acordo com a densidade demográfica da região.
6. Crescimento de uma região pela Qualidade de Vida.
7. Tribo índigena mais velha tomará conta do poder na 1ª vez e/ou na ausência de um governo, caso haja processo de impeachment, líderes das regiões escolhido pelos representantes (formados pelos principais intelectuais da região) deverão assumir.
8. Direito à liberdade religiosa e de expressão. Críticos serão levados aos Centros Intelectuais de Discussões, caso haja procedência de afirmação, encaminhar ao governo.
9. Pesquisas de satisfação e sugestões com os direitos humanos vigentes, e mudanças, caso em maoria, serão discutidas e/ou adotadas 3 meses após a tomada do poder.
10. Licitações públicas, com Centro de Suporte à População.

Atenciosamente,
Rafael Cores Freitas

Achou idiota? Tem sugestões? Opiniões?
e-mail: rdefreitas@r7.com

3 Coisas que eu vi no Vimeo

São 3 videos bem legais que eu vi no site de videos Vimeo, feito por produtores amadores, de qualidade notável, acho válido compartilhar tamanha criatividade e ajuda a nós mesmo nos inspirarmos com novas ideias.

Continue lendo ‘3 Coisas que eu vi no Vimeo’

Meu Vicio da Semana: Give Me Everything Tonight

A música do Ne-Yo com o Pitbull e Afrojack é incrivel, uma batida envolvente e uma letra empolgante. É uma das musicas que eu posso considerar há mais ou menos um mês como um verdadeiro vício, todo dia ouvindo ela … uma, duas, três vezes por dia. Sem falar que o Pitbull é um fanfarrão, além de mandar muito nas rimas, ele consegue dar sentido a melodia, afinal quem nunca chegou na garota na balada e falou: “Com licença  eu posso ter beber um pouco mais do que deveria esta noite, e eu poderia levá-la para casa comigo, se pudesse esta noite” É, Pitbull já é um tremendo frasista

Desmascarando o Ajax

ajax_vvv_desportugal

AJAX (Asynchronous Javascript And XML) é o uso metodológico (método+lógico) de tecnologias como Javascript e XML, providas por navegadores, para tornar páginas mais interativas com o usuário, utilizando-se de solicitações assíncronas de informações. AJAX não é somente um novo modelo, é também uma iniciativa na construção de aplicações web mais dinâmicas e criativas. AJAX não é uma tecnologia, são realmente várias tecnologias conhecidas trabalhando juntas, cada uma fazendo sua parte, oferecendo novas funcionalidades. AJAX incorpora em seu modelo:

  • Apresentação baseada em padrões, usando XHTML e CSS
  • Exposição e interação dinâmica usando o DOM
  • Intercâmbio e manipulação de dados usando XML e XSLT
  • Recuperação assíncrona de dados usando o objeto XMLHttpRequest
  • e JavaScript unindo todas elas em conjunto.

É, bem típico do Wikipedia, mas foi uma das poucas e boas explicações que eu considerei como completas sobre o Ajax. Venho aprendendo a cerca de 2 anos a tecnologia e a classifico como fundamental para qualquer um que queira seguir como webmaster ou expansionar o currículo, já que o mercado não é tão envolvente para desenvolvedores da tecnologia, mas ainda há brechas em diversas empresas, especialmente nas micro e médias.

Links:
Wikipedia
ASP


Perfil

RAFAEL NL FREITAS escreve livremente há 7 anos.
É servo do Estado e réu do Liberalismo.
É jornalista e é leitor.
É cidadão deliberativo e blackbloc.

É o autor de “Aspectos Legais da REDESIM e sua Aplicabilidade no Estado do Rio de Janeiro“ e da obra ‘‘Panorama da nova Administração Pública: ADTEN, REDESIM e Plano Maior’’.

dezembro 2017
S T Q Q S S D
« nov    
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031

Hospedagem Gratuita

Web Hosting

My Del.icio.us

Digite seu endereço de email para acompanhar esse blog e receber notificações de novos posts por email.

Junte-se a 2 outros seguidores